Como perder um homem em 10 dias - Filme

Esse é um dos filmes que eu já vi várias vezes! Eu adoro! Acho que a química entre a Kate Hudson (que interpreta a Andie) e o Matthew McConaughey (que interpreta o Ben) rola super de boas e naturalmente pro propósito do filme.

Análise do filme "Como Perder um Homem em 10 dias"

A Andie é uma jornalista super empoderada, consciente do seu valor (como mulher, pessoa e profissional - super importante pro enredo do filme e pras nossas vidas, encontrar esse equilíbrio, também!-) e isso fica bem claro durante todo o filme. Além de ela lutar pra poder escrever sobre política, economia e coisas que importam e interessam pra ela (fora do padrão das mulheres jornalistas, que - pra 2003, ano que o filme foi lançado, já tá bem a frente, com discursos que a gente se preocupa hoje - só queriam escrever sobre moda, beleza, cosméticos e procedimentos estéticos), mas não pra editora da revista onde ela trabalha, ela também ajuda a amiga dela junto com outra amiga, a entender o valor que tem no relacionamento. O filme gira em torno de uma coluna que ela vai escrever em 10 dias (alô, titulo do filme!), sobre coisas que as mulheres fazem de errado no relacionamento e acabam enxotando o cara sem perceber. Ela tem a missão de sair com um cara e testar ao máximo as habilidades de ambos pra ver quem aguenta mais no relacionamento, fazendo mil e uma atrocidades, dando dicas do que não se deve fazer (antiquado, colocando a culpa toda em cima da mulher? Um pouco, sim. Mas lembrem, foi há 17 anos. Faz sentido o discurso machista) e, a promessa -mentira- da editora dela é que depois dessa coluna, ela vai poder escrever sobre o que ela quiser.

Ao mesmo tempo, um publicitário garanhão, mulherengo e sem culpa alguma no cartório pelos últimos relacionamentos de one night stand, na tentativa de conseguir uma conta de publicidade pra uma empresa de diamantes, se envolve numa aposta, de conquistar uma mulher e fazer com que ela AME ele de verdade, até o dia do lançamento dos diamantes em uma festa que eles darão e então decidirão quem será o gerente da conta publicitária. As concorrentes do Benjamin já conheceram a Andie previamente e sabe da tarefa dela e - por destino de enredo, pra continuar a história, lógico - ambos estão no MESMO BAR caçando suas vítimas pro trabalho e AMBOS não sabem o que as concorrentes do Ben armaram. Fato é que ambos os lados estão tramando algo além e mentindo um pro outro pra se sobressaírem e ÓBVIO que no final, eles se apaixonam e o conflito em geral do filme vem na hora que a Andie descobre ser uma aposta e fica possessa. Mea Culpa, né? Porque ela também mentiu pra ele.

Ela finalmente percebe que a editora dela não vale nada e que tá na hora de se demitir e procurar algo que faça ela feliz no trabalho (essencial!) e eles ficam juntos. Ponto.


Também conseguimos notar o estereótipo de beleza: Ela tem cabelo crespo/cacheado. Mas durante 90% do filme, ela deixa o cabelo liso. Pelo enredo do filme, quando eles viajam pra conhecer a família dele, ela provavelmente não leva secador ou chapinha e pelo fato de tomar banho fora de casa, o cabelo dela seca ao natural e quando eles voltam de viagem, ela tá com o cabelo cacheado. E depois ele volta a ficar liso. Porque ela não podia ficar com o cabelo cacheado o filme todo? "A, porque ela gosta do cabelo liso. É da personagem''. Ok, mas entendem que isso tem a ver com representatividade e reconhecimento? As mulheres vendo o filme percebem que ela tá com o cabelo liso quase o filme todo. Por um pequeno deslize o cabelo se mostra ao natural numa fração de tempo. Ou seja, mulheres com cabelo cacheado não podem ser bem sucedidas, não são bem vistas, são feias... ou o quê?


Coisas pra pensar:

- Porque SÓ as mulheres erram nos relacionamentos e só elas enxotam os homens, nos filmes? O desinteresse dos homens não tem parte nessa história toda?


- Estamos vivendo numa hera onde as mulheres fortes são nosso padrão, donas de si, independentes, bem sucedidas. Mas na realidade, isso é só da boca pra fora, principalmente quando se fala em relacionamentos. Homens tem medo de mulheres fortes, com mais dinheiro, que não dependem e não precisam deles. Pelo menos a maioria.


-Não somos e não precisamos ser fortes o tempo todo. A gente também pode ter momentos de fraqueza e isso não faz de nós um total fracasso!


*Disponível na Netflix. (me patrocina, Dona Netflix!! hahahaha)

Posts recentes

Ver tudo

Lola Cosmetics

A Lola é uma marca de cosméticos vegana, carioca, cruelty free e umas coisinhas mais. Eu conheci há marca em 2016 quando comecei a procurar

Nascemos da vontade de compartilhar experiência entre mulheres incríveis e maravilhosas que já empreendem e que estejam com vontade de entrar no mundo do empreendedorismo. Somos uma rede de apoio. Com rodas de conversas, imersões, trocas de experiências e feedbacks. Acreditamos não ser necessário ter sua própria empresa para ser empreendedora e também poder ajudar nas dúvidas de negócios de quem já está empreendendo! Aqui o principal é a troca. Vem fazer parte!

  • Facebook
  • Pinterest
  • Instagram

Av, Panamericana, 286. Porto Alegre, RS / 91050000

girlpowerpoa@gmail.com

(51) 99182-0764

Girl Power Poa - 86414232068​

Entrega dos produtos físícos em até 14 dias úteis.